Por ANTÔNIO MENDES DA SILVA FILHO

Doutor em Ciência da Computação

 

 

Caracterizando a criatividade: diligência

 

Você consegue descrever uma pessoa criativa? Muitos costumam caracterizar uma pessoa criativa como aquela que usa em demasia a imaginação. Há um conjunto de traços de personalidade que caracterizam pessoas criativas. A personalidade humana não é, entretanto, estática, mas sim um elemento dinâmico. Ela evolui com as experiências e oportunidades que os indivíduos têm. Portanto, ao prover suporte a cultura de criatividade, a personalidade da pessoa tem chances de ter o lado criativo desenvolvido, o que lhe permite tirar proveito das oportunidades que surgem no dia-a-dia. Abaixo, uma das características da criatividade é apresentada. Esta é apenas uma das características de um conjunto que pretendo apresentar, sem ter a intenção de ser completo, mas de caracterizar a criatividade.

Diligência

Quando um indivíduo tem prazer em realizar uma atividade, seja ela de natureza profissional ou não, ele o faz com diligência e, às vezes, com obsessão. É comum encontrar pessoas que não se limitam a trabalhar 40 horas semanais. Profissionais envolvidos nas mais diferentes atividades (pesquisa, marketing, negócios) extrapolam o limite legal da 40 horas semanais. Eles trabalham em cima de metas e resultados. Eles estão tão envolvidos com a atividade que se encontram realizando que esquecem quase completamente do tempo.

Entretanto, nem todas as pessoas criativas têm longa jornada de atividades. Muitas, até, trabalham durante um período menor compreendendo algo entre 20 e 40 horas semanais. No entanto, enquanto em atividade, elas trabalham de modo intensivo e diligente. Mas, por que esse aspecto diligente e, às vezes, até obsessivo pela realização de uma atividade? Parte da resposta deve-se ao fato desses indivíduos saberem que uma nova idéia não ficará em suas cabeças por muito tempo. As pessoas criativas sentem a necessidade de externarem sua idéia antes que ela se perca. Muitos indivíduos em sua diligência para realizar uma atividade, criar uma nova idéia ou produto, trabalham de maneira quase ininterrupta. Além disso, finais de semana, feriados ou mesmo durante a noite e madrugada compreende ocasiões apropriadas ao momento de criação, uma vez que são horários nos quais esses indivíduos podem se concentrar sem sofrer algum tipo de interferência ou interrupção como, por exemplo, uma visita inesperada ou ligações telefônicas ou quaisquer outros tipos de interrupção.

Torna-se diligente e obcecado ou apresentar uma vontade incomum para concluir vários projetos simultaneamente e terminar atividades constituem traços encontrados em pessoas criativas.

Lembro-me de um episódio no qual Francisco Carlos estava conversando com seu orientador de mestrado e, sempre, nas reuniões seu orientador costumava apresentar um problema por meio de uma questão ao Francisco. De início, Francisco não tinha uma resposta de imediato e após a reunião, ele trabalhava de forma diligente na busca de uma solução a questão apresentada pelo seu orientador. Na reunião seguinte, Francisco apresentava a solução ao orientador que mal acabava de ouvir a solução e, logo em seguida, formulava uma nova questão em cima do mesmo problema. Lá ia Francisco novamente trabalhar de forma obcecada para encontrar uma solução para o problema recebido. Tão logo conseguia a resposta, retornava ao seu orientador que mal analisava a resposta dada e já formulava outra questão. Para encurtar, isso ocorreu quase cinco vezes até Francisco perceber a necessidade de pensar de forma completa, isto é, pensar no todo para poder apresentar uma solução completa. Neste exemplo real aqui relatado, dois aspectos são identificados: (1) a diligência e, porque não, obsessão do Francisco Carlos em dar solução ao problema formulado por seu orientador e (2) a preocupação do orientador em ajudar a despertar o lado criativo do Francisco. Hoje em dia, Francisco Carlos é uma pessoa bem sucedida, além de bastante criativo. Ele tem nos traços de sua personalidade não apenas a diligência, mas também um conjunto adicional de outras características que nos permite qualificá-lo com indivíduo bastante criativo. Em outro artigo, é discutido o comportamento de pessoas criativas. Algo você deve ter em mente: todos seres humanos têm criatividade, uns em maior e outros em menor intensidade. Portanto, o primeiro passo é preciso entender a criatividade para, então, saber como estimular e trabalhar com indivíduos criativos.

Outras características englobam: amor ao trabalho, excentricidade, persistência, desorganização, reclusão, monotonia e agnosticismo. Note que esse conjunto de características serve para ajudar qualificar pessoas criativas. Entretanto, além dessas características, os indivíduos bastante criativos, geralmente, costumam:

  • Apresentar soluções originais a problemas e situações com as quais se deparam.

  • Procurar formas alternativas de ver e examinar fenômenos observados, bem como de formular problemas e questões.

  • Ter a habilidade de fazer associações incomuns entre idéias aparentemente não relacionadas.

  • Apresentar várias soluções a problemas com os quais se deparam.

  • Ter habilidade analítica de explorar problemas, procurando entender suas partes e o todo.

  • Ter habilidade de adaptar-se a novas situações, enxergar oportunidades e disposição de buscar soluções inovadoras.

  • Estar interessados em melhorar, adaptar e/ou modificar idéias e produtos já existentes.

  • Apresentar soluções que soam imprevisíveis, futurísticas e esquisitas.

  • Contra-argumentar soluções dadas ou apresentadas por professores ou profissionais especializados.

  • Exibir uma espécie de humor não compreendida pelos demais.

  • Reorganizar um conjunto de idéias de modo a apresentar uma idéia ou produto inovador.

  • Ter a facilidade de lidar com a complexidade, vislumbrando formas de conceituar idéias difíceis e produtos complexos.

  • Ter ousadia e disposição para assumir riscos em busca de soluções para problemas que tenha em mãos.

  • Ter curiosidade e apresentar comportamento investigativo, fazendo questões que possam ajudá-los saber mais sobre um problema ou produto.

  • Usar a imaginação de forma acentuada, sonhando, fantasiando, fazendo devaneios, vislumbrando e arquitetando novas idéias que possam gerar novas idéias ou produtos.

 

Clique e cadastre-se para receber os informes mensais da Revista Espaço Acadêmico 

Sugestão: Complemente o entendimento sobre criatividade lendo:

O Valor da Criatividade no Ambiente Corporativo

Entendendo a  Criatividade: A Dinâmica do Processo Criativo

Entendendo a Criatividade: O Comportamento de Pessoas Criativas

Diferenças entre Criatividade e Lógica

 

clique e acesse todos os artigos publicados...

http://www.espacoacademico.com.br - Copyright © 2001-2005 - Todos os direitos reservados