Por ANTÔNIO MENDES DA SILVA FILHO

Doutor em Ciência da Computação

 

Entendendo a criatividade: a dinâmica do processo criativo

   

Como você imagina ser a dinâmica do processo criativo?

Você considera ser um processo composto de um conjunto de etapas, onde cada uma delas tem um papel claramente definido, acontecendo em determinada cronológica? Se a resposta foi sim, então você errou.

O processo criativo é desordenado. Então, você pode questionar: se não há um conjunto de procedimentos, como uma receita de bolo, que possa seguir, então não há como aprender ou desenvolver tal habilidade. Não pense desta forma, pois todos somos criativos, uns em maior e outros menor grau. No entanto, para entender melhor a dinâmica do processo criativo, considere a Figura 1.1.

Figura 1.1 – Dinâmica do processo criativo.

A figura acima ilustra que o processo criativo requer três habilidades do ser humano: análise, síntese e mapeamento. Note que é necessário ter essas habilidades bem como usá-las iterativamente entre si e interativamente com as demais.

Análise

A habilidade de análise requer a capacidade de avaliar e pensar de maneira crítica de modo resultar num ‘raciocínio convergente’, onde idéias, opiniões e possíveis soluções são ponderadas durante uma avaliação. João Pedro, profissional de empresa de recursos humanos, encarregada de fazer a identificação e seleção de profissionais para uma multinacional costuma utilizar essa habilidade em seu trabalho. Geralmente, ele identifica profissionais com o perfil adequado ao projeto da empresa e a seleção toma por base um conjunto de parâmetros definidos pela empresa, combinado com possibilidades de aproveitamento em outras atividades da empresa e envolvimento em outros projetos.

O pensar de modo crítico. Em atividades como essa, o indivíduo faz uso do que se denomina de ‘pensamento crítico’, isto é, a capacidade de considerar possíveis respostas, implicações, resultados ou mesmo problemas decorrentes de uma solução a ser empregada numa atividade.

O raciocínio convergente. Importante ainda observar que a análise pode se dar de forma iterativa, ou seja, de haver a recorrência durante o processo de análise. Isto pode ser entendido como um ‘refinamento’ da análise, onde o indivíduo criativo faz um escrutínio e distinção entre um conjunto de (novas) idéias que tenha potencial de serem exploradas. Essa habilidade de análise esmerada é resultado de um ‘raciocínio convergente’ do ser humano.

O processo de análise não ocorre de maneira isolada. Há uma interação com os outros componentes do processo criativo humano. Essa interação não ocorre de maneira ordenada, pois o momento criativo envolve tanto refinamento de idéias até o inverso, isto é, a ocultação de detalhes. Além disso, existe o mapeamento de desde conceitos e idéias relacionadas a outros que não tem qualquer tipo de relacionamento. O momento criativo é dinâmico fruto da compilação de idéias e combinação desses três fatores.

Síntese

O segundo componente do processo criativo é síntese que compreende a habilidade de conceber novas idéias ou produtos resultantes de um conjunto de idéias já existentes, sejam elas relacionadas ou não. Indivíduos criativos costumam ‘enxergar’ o que os demais tem dificuldade de perceber. Tais indivíduos têm a habilidade de descobrir coisas novas, fazendo conexões de idéias aparentemente não relacionadas.

A linha de raciocínio divergente é um fator determinante na habilidade síntese. Trata-se de um modo de pensar aberto e de dimensão ilimitada, onde a pessoa criativa não trabalha com uma única solução, mas várias. Há em tais pessoas uma ‘espontaneidade’ em apresentar idéias e fazer relacionamentos entre idéias não observados ou descobertos por outras pessoas.

A síntese requer uma grande capacidade imaginativa. Indivíduos criativos, via de regra, são tomados por momentos de extrema imaginação, fantasia e devaneios. Eles têm facilidade em manipular conceitos e idéias, modificando, adaptando ou criando a partir idéias existentes. Há neles um constante interesse em aperfeiçoar produtos e idéias. Conheci um profissional que possuía um tino investigativo aguçado. Houve uma ocasião na qual encontrei o André Luís pensando em voz alta: o que acontecerá se aumentar o nível de atenuação desejado sem modificar os demais parâmetros do filtro? Ele estava trabalhando na busca da solução de um filtro de sinal adequada a uma espécie de sinal sujeita a alterações durante a operação de um sistema.

A Sinética constitui um pilar a habilidade de síntese, onde indivíduos criativos fazem um agrupamento de elementos que parecem diferentes e irrelevantes a solução de um problema. Trata-se de uma técnica de resolução de problemas que faz uso do pensamento criativo. Em outras palavras, é uma habilidade onde o indivíduo usa ingenuidade e imaginação no momento de concepção e síntese de uma nova idéia ou produto.

Mapeamento

Pessoas criativas, em geral, possuem enorme curiosidade sobre muitas coisas e mostram-se sempre interessadas questionar quase tudo, senão tudo. Elas também demonstram interesse por áreas não relacionadas são capazes de inventar coisas a partir de idéias desconexas. Elas formam associações entre idéias dissociadas no campo de estudo e tempo, bem como entre idéias sem quaisquer relacionamento lógico.

A habilidade de mapear abstrações em algo concreto é componente chave no processo criativo. Trata-se da capacidade de usar abstrações e conceitos teóricos e conseguir mapeá-los em idéias concretas ou algo prático. Em nosso cotidiano, encontramos, com freqüência, pessoas com boas idéias. Entre uma boa idéia e uma idéia criativa e inovadora que possa resultar num produto ou na melhoria de um processo, há uma diferença. Trata-se da habilidade de mapeamento, ou seja, transformar algo abstrato em algo real e prático.

A capacidade de comunicar e vender idéias combinada a habilidade de mapeamento permite um indivíduo não apenas conceber idéias fruto, muitas vezes, da associações entre bases distintas, mas também convencer os outros de que suas idéias, de fato, são inovadoras e podem resultar em produtos com elevado valor de mercado. Em outras palavras, é preciso ter raciocínio prático, mostrar o diferencial da idéia, seu real valor e que de fato ela funciona. A capacidade de comunicação é essencial nos mais variados ramos profissionais e mais ainda às pessoas criativas a fim de serem compreendidas pelos demais. Afinal, como vender uma boa idéia a gerência ou diretoria de uma empresa? Como obter financiamento para desenvolvimento de um projeto ou produto?

O mundo aí fora está repleto de pessoas com as mais variadas idéias. O papel de agências de fomento e diretorias de empresas é o de estimular a geração de novas idéias e produtos. Entretanto, a pessoa criativa tem um papel ainda maior: o de vender sua idéia.

Bloqueio do Processo Criativo

Pessoas criativas são orientadas ao risco e têm, geralmente, um perfil especulativo e empreendedor. Além disso, elas trazem consigo uma motivação própria que serve para catalisar o desenvolvimento da criatividade. Se essa motivação, inerente ao ser humano é bloqueada, então o indivíduo terá dificuldade de desenvolver sua criatividade.

O indivíduo necessita de tempo ilimitado para explorar atividades e idéias próprias. Impor limitações de tempo para o desenvolvimento de idéias é tem efeito contrário sobre o processo criativo. Assim, como uma criança precisa de tempo para explorar brincadeiras e objetos, os indivíduos criativos também sentem essa necessidade durante o processo criativo.

Diversos fatores ‘bloqueiam’ o desenvolvimento do processo criativo e dentre eles, destacam-se: medo de errar, impaciência, preconceito, falta de compromisso e apoio (financeiro), receio de mudanças, vaidade, insegurança, intolerância e impaciência.

Rodear ou manter vigilância sobre as pessoas tem efeito contrário no processo criativo, uma vez que elas se sentem constantemente observadas enquanto desenvolvem qualquer atividade e isso inibe a atitude de ‘correr riscos’, implicando ainda no desvanecimento do processo criativo.

Faça uma experiência: observe pessoas com as quais costuma relacionar no seu ambiente profissional ou social e identifique um ou mais dos fatores mencionados acima. Para essas pessoas, o processo criativo pode até ainda ocorrer, considerando que elas apresentem um ou dois daqueles fatores, mas o processo se dará de uma forma um tanto inconstante. Tais fatores constituem obstáculos ao desenvolvimento e uso efetivo das habilidades de análise, síntese e mapeamento que embasa o processo criativo.

(Sugestão: Complemente o entendimento sobre criatividade lendo o artigo O Valor da Criatividade no Ambiente Corporativo )

 

Clique e cadastre-se para receber os informes mensais da Revista Espaço Acadêmico
 

clique e acesse todos os artigos publicados...

http://www.espacoacademico.com.br - Copyright © 2001-2005 - Todos os direitos reservados