Por

ANTONIO MENDES DA SILVA FILHO
Doutor em Ciência da Computação. Docente do DIN/UEM

 

Texas C&T: Country e Tecnologia

 

Atualmente, encontro-me no Texas, EUA, e nesse artigo compartilho com você leitor um pouco desse Estado que tem de tudo, indo do country a tecnologia.

Quando se fala sobre o Texas, muitos logo o associam ao jeito country do sudoeste dos Estados Unidos, onde se tem os caubóis com modo de vida e músicas típicas do Oeste do EUA. Sim, o leitor está certo e sobre esse Texas que estou falando. Eles preservam seus hábitos e admiração pelas músicas e dança country. Nada mais salutar do que manter a própria cultura, passando de geração a geração. Entretanto, para aqueles que não sabem, o estado do Texas tem sido exemplo quase ímpar de como economia e tecnologia têm avançado nos EUA ao longo da última década. A população texana em 2001 era estimada em pouco mais de 21 milhões de habitantes o que corresponde a aproximadamente 7.5% da população americana. Desses 21 milhões, 71% são de cor branca, 11% negros e o restante praticamente latinos. Há ainda um percentual de 2.7% de pessoas com origem asiática.

Até, aproximadamente, final da década de 80, a economia texana era movida principalmente pela indústria do petróleo e, em parte, pela pecuária. Quem não se lembra do seriado “Dallas” no qual tínhamos Larry Hagman protagonizando JR, o personagem principal tipificando um empresário texano bem sucedido. Melhor lembrar do Larry Hagman contracenando com Barbara Eden em “Jeannie é um Gênio”. Isto pois no seriado Dallas, JR era um vilão inescrupuloso.

Ao longo da década de 90, todavia, esse cenário econômico centrado principalmente, na indústria petrolífera mudou. A economia texana começou a se diversificar devido a política determinada de atração de investimentos tomada pelas autoridades locais e empresários. Como resultado, a economia do estado continuou a crescer de forma significativa e, de acordo com o Centro de Dados da Indústria e Comércio do Texas, o PIB do estado deverá atingir US$ 900 bilhões em 2003, superando o PIB brasileiro.

No campo da ciência e tecnologia, as universidades texanas são líderes nos campos aeroespacial, eletrônica, biotecnologia, computação, materiais e pesquisa relacionada a energia. O crescimento de registro de patentes tem sido de aproximadamente 7% a.a. nesses últimos três anos e tem havido incentivo para elevar esse percentual nos próximos anos.

Um exemplo interessante, dentre as universidades texanas, tem sido a University of Texas at Dallas (UTD) que hoje possui programas de programas para formação de profissionais em Ciência da Computação, Engenharia de Telecomunicações e Engenharia de Software o qual registrou o ingresso nesses cursos de 1017 estudantes de gradução e 546 na pós-graduação no primeiro semestre de 2000.

Além disso, muitas indústrias do setor de telecomunicações instalaram-se aqui no estado, sendo por isso chamado como o “corredor das telecomunicações”. Isto favorece parceria com as universidades bem como facilita a absorção dos estudantes recém graduados. Muitos estudantes, a nível de pós-graduação, dedicam-se em tempo parcial aos estudos enquanto ingressam no mercado de trabalho. Ao longo da década de 90, a indústria de telecomunicações cresceu quase 70%. Outros segmentos de tecnologia de ponta presentes aqui no Texas são computadores e semincondutores, que cresceram aproximadamente 1500% e 200%, respectivamente, nesses últimos 10 anos. Esses três segmentos da indústria têm sido responsáveis por grande parte da oferta de empregos no estado que totalizou no período de 1990 a 2002 quase 2.8 milhões de vagas de acordo com o Centro de Dados da Indústria e Comércio do Texas.

E pergunta-se: Qual tem sido a fórmula para obter tais números e resultados? A resposta está na atitude das autoridades e empresários em direcionar esforços e recursos para áreas de tecnologia nos mais diversos campos bem como atrair profissionais capacitados para educar e treinar a gerações vindouras. É importante observar que a percepção de mudança de rumo vislumbrada no final da década de 80 e implementada ao longo da década de 90 tem proporcionado tais resultados relatados anteriormente. Isto é reflexo de uma atuação conjunta entre o setor público e privado em pró do desenvolvimento científico, tecnológico e social. Mas, o mais importante desse exemplo não é apenas a visão do futuro a ser cultivado, mas também a determinação de executá-lo. Isto, em outras palavras, é nada mais do que um rumo que os texanos vislumbraram e perseguiram. Hoje em dia, muitos ainda cultuam o country pois faz parte da identidade texana, mas ao mesmo tempo convivem com o novo ‘boom’ da economia, i.e., o avanço científico e tecnológico. Quiçá algo parecido possa acontecer no Brasil ... independente de ideologia política.

ANTONIO MENDES DA SILVA FILHO

     

 


http://www.espacoacademico.com.br - Copyright © 2001-2003 - Todos os direitos reservados